19 de agosto de 2013

OS GATOS QUE CAÇAM OS RATOS DO HERMITAGE AGORA SÃO ESTRELAS DA CORTE IMPERIAL RUSSA

Já tinham pinturas, livros e um dia em sua honra. Agora foram retratados com roupas de época para a revista de um dos museus mais antigos e importantes do mundo.

O gato Kuzma veste as roupas do Empregado da Corte do Hermitage

O Museu Hermitage arranjou mais uma forma de celebrar os seus gatos, personagens secundárias na história centenária de um dos maiores museus do mundo, mas guardiões essenciais da integridade das suas obras de arte perante a ameaça dos ratos que vivem no edifício. A Hermitage Magazine publicou pinturas digitais de seis dos gatos do Palácio de Inverno. Nestes retratos de Eldar Zakirov, os felinos assumem o papel de empregados da corte imperial russa.

Serão cerca de 70 os felinos que trabalham todos os dias no museu russo entre 2000 funcionários humanos. A série de seis retratos digitais comissariada pela Hermitage Magazine é apenas a mais recente homenagem ao papel dos gatos no palácio: a imperatriz Isabel I viu neles uma boa maneira de proteger as obras de arte das pragas de ratos e ratazanas. Até hoje, os gatos continuam a ter essa função no Hermitage e têm até um dia que lhes é dedicado, 27 de Março. “Os gatos tornaram-se uma parte muito importante da vida do Hermitage e uma das suas lendas mais significativas”, disse em 2010 o director do museu Mikhail Piotrovsky a propósito do dia dos gatos do Hermitage, em que os visitantes são convidados a conhecer estes guardiões felinos.

A série Hermitage Cats é da autoria de Eldar Zakirov, um artista plástico de 30 anos a viver no Uzebaquistão cujo site mostra as suas experiências com a arte digital no retrato de humanos, do fantástico ou de... yorkshire terriers. A revista do museu fez-lhe uma encomenda inédita: “Esta é a primeira vez que [os gatos do Hermitage] são representados desta maneira, na tradição do retrato holandês”, disse Zorina Myskova, editora da revista, aoNew York Times.

Os seis gatos (parte de um grupo que é mais extenso) foram seleccionados pela encarregada dos gatos do museu de São Petersburgo, Maria Haltunen, que já escreveu o livro para criançasHermitage Cats save the day, mais tarde convertido em musical infantil ao som do jazz de Chris Brubeck. As roupas que os felinos envergam nas imagens foram também criteriosamente escolhidas pelo curador do museu da secção de traje russo.

Neste conjunto de imagens, o gato que é conhecido pelos corredores do Hermitage como Kuzma ganhou o título de "Empregado da Corte do Hermitage". Há ainda o "Mensageiro da Corte" ou o "Aprendiz de Confeiteiro", entre outros títulos. Inspirado nas técnicas de retratistas russos do século XVIII e XIX, como Orest Kiprensky ou Ilya Repin, Eldar Zakirov disse ao New York Times que se tentou manter o mais próximo possível da verdadeira identidade destes animais, notando “as suas características individuais: as manchas do seu focinho, a forma das orelhas, o comprimento do pêlo”. 


Nas redes sociais e na web em geral, as imagens e vídeos de gatos costumam ser razão para muitas partilhas e estas pinturas digitais de gatos aperaltados já estão a percorrer esse caminho. Ao New York Times, Zakirov disse que a partir deste trabalho já está a receber convites para retratar outros gatos e acrescenta que “esta ideia vai ter continuidade”, apontando para a possibilidade destes trabalhos não ficarem pelas páginas da Hermitage Magazine.

Extraído do sítio Público.pt

Um comentário:

  1. É muito bom e desenvolvido.
    Solonia Melo.
    02/ -9 / 2013

    ResponderExcluir

Os comentários serão moderados. Não serão mais publicados os de anônimos.